Sucesso no Casamento Ester Souto

Se eu tenho razão porque tenho que ceder?

Se eu tenho razão porque tenho que ceder?
Compartilhe
  • 167
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    167
    Shares

Ser feliz ou ter razão? Quando o orgulho fala mais alto e no fim de uma discussão acalorada a última palavra é sua, que sensação hein? Mas o casamento não é como um jogo de tênis em que os dois duelam, é mais como se fosse um jogo de futebol em que você e seu cônjuge estão na mesma equipe. Gastamos tanta energia apenas para demonstrar que temos razão mas independentemente de tê-la ou não é preciso decidir se quer ser feliz ou ter razão.

Veja esse exemplo:

Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados. Mas ele ainda quer saber: – Se tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistido um pouco mais… E ela diz: – Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

Viu só? O importante mesmo não é a discussão acontecer e ao fim você ser o ultimo (a) a dar a palavra, sendo dono (a) da razão, mas sim, ser sábio (a) o suficiente para evitar que a discussão comece.

Vamos a algumas dicas:

Dica 1: Pare e pense: Vale a pena brigar por isso?

– Evite discutir por coisas pequenas, coisas essas que podem ser relevadas e assim evitarem gasto de saliva e o desgaste emocional de ambos.

Dica 2: Analise os motivos que podem gerar a discussão.

– Afinal existem problemas mais sérios entre um casal do que ele ter entrado em casa sem tirar os sapatos ou ela ter esquecido de pagar uma conta, não é mesmo?

Dica 3: Cuidado com o que for dizer.

– Quando estamos com o sangue quente e irracionalmente querendo toda a razão, acabamos falando o que não queremos e podemos com isso machucar quem mais amamos e no fim, uma briguinha a toa se torna algo realmente sério.

Dica 4: Ouça o outro lado

– Se cale e escute os motivos/insatisfação do seu parceiro (a), veja a situação na perspectiva que o outro vê, ter essa empatia te fará entender melhor a situação por todos os ângulos e te dará um melhor norte a caminho da solução mais branda.

Dica 5: Seja flexível

– É bom ter razão, é. Mas essa não é uma opção dentro de um elo conjugal. Você e seu cônjuge são um só e independente dos motivos que façam seu sangue esquentar, se lembre que pra o bem da relação de vocês e da harmonia dentro do lar, você precisa ser racional ainda que o outro lado não esteja sendo, e isso envolve ceder.

Você errou com seu cônjuge? Faltou com um compromisso com ela (e)? Aí vai a última e principal dica: A melhor maneira de não entrar em discussões é demonstrando para a pessoa amada que você entende o pensamento dela, mesmo que discordando. Não entendeu? Dou-te um exemplo: Você foi naquele futebol com os amigos, depois ficou no churrasco e esqueceu que tinha combinado de sair com a esposa. E agora?

Resposta 1: “Desculpa… Não tem porque ficar brava. Eu só estava no futebol e fizemos um churrasquinho depois”. [ERRADO]

Resposta 2: “Eu só estava no futebol e fizemos um churrasquinho depois. Mas eu entendo porque você está brava comigo. Eu realmente errei”. [CORRETO]

Pronto! A briga acaba aqui, ou até mesmo nem começa. Discorde do ponto de vista, mas demonstre entendimento em seguida. Assuma o erro.

A dica é boa porque evita desgaste. Mas, o melhor mesmo é que você dê prioridade para a pessoa que ama, que não falte aos compromissos que marca e que sempre faça o máximo para agradar e demonstrar amor por seu cônjuge, da forma como acontecia no inicio do namoro, sabe? Quando ele estava querendo conquistar e ela sempre queria agradar.

Casamento é um elo de eterno aprendizado e renúncias de ego e orgulho. Você cede porque ama e porque preza por um relacionamento que tenha paz. Sei que para alguns praticar essas dicas no próprio casamento vai ser algo difícil, mas digo a você que não é impossível e os benefícios são extraordinários, e mais, todo investimento que você faz para o bem do seu relacionamento só irá te trazer alegrias, felicidade e dias de saliva gasta com beijos e não em discussões triviais.

Se o seu casamento está por um fio ou já acabou, não desista antes de fazer esse teste.Clique Aqui.

 

 

(Visited 5.882 times, 5.882 visits today)

Compartilhe
  • 167
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    167
    Shares
  •  
    167
    Shares
  • 167
  •  
  •  
  •  
  •  

Sobre o autor | Website

Estudante, Cristã, leitora voraz sobre relacionamentos, tem amor por escrever, gerencia a página Clima de Deus, está vivendo o namoro Santo e em treinamento para missões.

Deixe o seu Comentário