O QUE É CARÊNCIA AFETIVA E COMO AFETA OS RELACIONAMENTOS.

Toda carência afetiva faz mal para os relacionamentos. Ela é caracterizada por uma dependência emocional muito forte, na qual uma pessoa entende que precisa da outra para se sentir feliz e amada.

Compartilhar
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

Com o passar do tempo o relacionamento se torna um peso para os envolvidos, a insatisfação vai reinar, uma vez que ninguém é capaz de suprir as deficiência internas da outra pessoa. 

A falta de carinho na infância pode ser um agravante. Alguns números explicam porque existem tantas pessoas que sofrem de carência afetiva. 

Segundo pesquisa do Ibope, 28% da população brasileira considera não ter recebido carinho na vida, enquanto 21% afirma jamais ter expressado carinho a qualquer outra pessoa, esses números explicam um pouco sobre o tema.  

COMO É DESENVOLVIDA A CARÊNCIA AFETIVA?

A qualidade e a quantidade do carinho recebido na infância, determina muito sobre a capacidade de dar e receber carinho na vida adulta. 

Crianças que foram rejeitadas e abandonadas, que não receberam carinho suficiente ou receberam em excesso podem desencadear carência afetiva. E isso pode ser real, como também pode variar de acordo com a interpretação da criança ou diante de um fato pontual. 

E o pior, o excesso de carinho e proteção também faz com que a criança crie muita dependência dos pais e tendem a sentir que não são capazes de fazer nada sozinhas, inclusive amar a si mesmas e essas pessoas condicionam sua felicidade aos outros. 

E quanto menos uma pessoa dá carinho, mais essa pessoa acaba se fechando emocionalmente.
Se você é uma pessoa que não sabe dar e receber carinho, primeiro, cuide das suas dores, busque amar-se e então vai se livrar dessa dependência que acaba com tantas relações. 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA CARÊNCIA AFETIVA? 

  • Dependência exagerada do outro para ser feliz
  • Aceitar qualquer condição, até mesmo abrir mão de seus valores e princípios, por medo de ficar sozinho; 
  • Ciúmes e controle exagerado sobre o outro; 
  • Sufocar o parceiro a ponto dele abandonar seus planos pessoais para viver a vida do outro; 
  • Falta de critérios para se relacionar, pois, qualquer coisa é melhor que ficar sozinho; 
  • Para chamar atenção, se faz de vítima, inventa e cria doenças para que o outro se comova e atenção se volte para você; 
  • Se sente inferior a outras pessoas e fica se comparando; 
  • Excesso de cobrança no relacionamento. 

COMO ACABAR COM A CARÊNCIA AFETIVA? 

Aprenda a ficar sozinho e não se relacione enquanto não atingir esse objetivo. É preciso aprender a se relacionar primeiro com você, gostar da sua companhia.  

Seu parceiro(a) deve ser escolhido, a partir da admiração, do amor, do carinho e do amor que vocês sentem um pelo outro, e não da necessidade de suprir suas carências.

 Perceba que existem outras pessoas a sua volta que também te amam, e não somente um parceiro(a) pode fazer isso. Pai, mãe, irmão, filhos, amigos, colegas. 

Preste atenção nas diferentes maneiras que as pessoas tem demonstrar amor… são muitos.

Reconheça seu valor, seus objetivos e o que você quer E O QUE NÃO QUER NUM COMPANHEIRO (A), para um relacionamento.
Valorize suas conquistas, seu papel no ambiente de trabalho, em casa e no mundo. 

Dê feedbacks e presentes a você, agrade-se, mime-se. 

blog: http://restauracaoderelacionamento.com/2020/08/20/voce-e-grato-pela-vida-do-seu-conjuge/ 

Instagram: https://www.instagram.com/p/CFDcUIxHmqL/?utm_source=ig_web_copy_link

  • 4
    Shares

Sobre o autor | Website

Com especialidade em Restauração de Relacionamentos, utilizando o amor da Psicanálise, (cura pelo amor), mais as poderosas ferramentas do Coaching Integral Sistêmico, também técnicas de PNL e Perfil Comportamental, desenvolvi um processo poderoso para restaurar, fortalecer, unir e gerar cumplicidade no relacionamento. Também programa para sair de estados depressivos, apáticos, de vitimização e de baixa autoestima. Desenvolvendo Inteligência Emocional, equilíbrio e uma visão para a vida com otimismo e positividade, transformando você numa pessoa mais proativa e feliz. LUCIANA CONTERATTO Gestora de Recursos Humanos; Psicanalista - Mestrado em Coach Integral Sistêmico; Analista de Perfil Comportamental; PNL;

Deixe o seu Comentário